RH - Recursos Humanos

Wordpress, Prestashop, Joomla e Drupal Grátis

Tendências na busca de um novo emprego

Tendências na busca de um novo emprego

As novas tendências na busca por um emprego

Autor: Cláudio Moraes

As novas tendências na

busca por um emprego Filipe Cascardo de Oliveira *

Uma rede de contatos e relacionamentos empresariais ,hoje em dia ,é uma grande arma na busca por uma colocação ou recolocação profissional. Empresas e recrutadores estão investindo cada vez mais tempo e recursos em conhecer pessoalmente bons candidatos através de uma entrevista pessoal ativa sem que, necessariamente ,exista o compromisso de uma vaga de emprego em cartaz. Por isso diversos profissionais de RH, estimulados por esta tendência, iniciam um processo de entrevista profissional com candidatos buscando identificar habilidades que não necessariamente estão descritas nos padrões curriculares.

Em entrevista com Jose Claudio Barroso de Moraes, administrador de empresas e proprietário da consultoria de assessoria de carreira para executivos e profissionais ,RHX, o mesmo confirma a tendência. Afirma fazer este tipo de trabalho ,de entrevistar profissionais e executivos indicados para conhece-los antes mesmo de receber destes seus currículos com o interesse de estar um passo à frente a favor possíveis futuros clientes . A este trabalho damos o nome de direcionamento de outplacement : em uma ficha anota-se tudo que achamos importante e que ,costumeiramente ,as pessoas não colocam em seus currículos mas que sabemos serem informações as quais inevitavelmente seremos questionados pela empresa contratante quando esta nos direcionar um perfil. Nessa ficha temos informações como: raio de prospecção a qual o candidato possui interesse em se recolocar; sua efetiva pretensão nessa busca por recolocação - e quando dizemos pretensão não significa somente em salário, muito pelo contrário, diversos profissionais relatam estarem buscando uma nova oportunidade galgando uma estrutura mais sólida que, consequentemente ,possa lhes proporcionar um belo plano de carreira . Eventualmente observamos que profissionais estão lutando na busca por um belo desafio, outros estão preocupados com uma maior qualidade de vida e flexibilidade de horários. Estas informações alguém coloca em um currículo? É fato que não! Portanto podemos dizer que essa base de dados possui informações detalhadas quanto ao "produto" profissional o qual é apresentada para empresas ou recrutadores, tornando o trabalho da sua empresa algo verdadeiramente diferenciado.

No caminho desta tendência aponto que um dos serviços mais contratados ultimamente em uma empresa é a orientação profissional para entrevistas .E também a entrevista simulada onde profissionais buscam mais do que simplesmente maximizarem sua exposição curricular no mercado. Buscam é estarem prontos para esta mais nova tendência no mercado nacional, estando assim preparados para que caso sejam indicados por qualquer pessoa que conheça seu perfil para uma empresa possam mesmo sem estar amparados por um currículo pré montado e cronológico, apresentar com riqueza de detalhes suas atividades já desenvolvidas... Seus resultados obtidos... Habilidades extra técnicas... Não deixando a desejar neste contato já que a primeira impressão geralmente é a que fica. Aos poucos e por consequência de novos formatos de recrutamento, os profissionais que contratam os serviços de assessoria de carreira começam a entender que suas recolocações acontecem ou não como resultado destes vários novos fatores.

O headhunter Obadia Sion ,que por 13 anos trabalhou no Grupo Catho / Thomas Case e que hoje é um recrutador independente , também confirma a tendência: Quando ele está auxiliando algum contratante empresa com seus serviços de recrutamento sempre procura além de um currículo que tenha as exigências da vaga. Possuir as qualificações técnicas necessárias para a função não é mais do que o minimo que se espera do candidato. E como não toma como base em seus recrutamentos o minimo, sempre busca o auxilio de empresas que ofereçam profissionais com informações extra técnicas .E quando não consegue isso, faz ele mesmo. Qualificações pessoais e outros detalhes que não fazem parte do modelo padrão curricular hoje em dia fazem toda a diferença, pois as empresas querem profissionais pessoas e não um belo papel .Tíítulos são adquiríveis, mas estamos atrás de algo que vai além do que o dinheiro pode comprar. Não estou dizendo que não se deve dar valor as competências técnicas e formação mas apenas a confirmação de que se deve buscar mais do que isso quando do início de uma seleção, deixando o currículo para um segundo momento de conhecimento.

* Filipe Cascardo de Oliveira é especialista em Recursos Humanos

/recursos-humanos-artigos/as-novas-tendencias-na-busca-por-um-emprego-6265686.html

Perfil do Autor

Filipe Cascardo é especialista em Recursos Humanos.